La relación entre los inmigrantes evangélicos haitianos en São Paulo y el pentecostalismo

Autores/as

  • Bernadete Alves de Medeiros Marcelino PUC SP

Palabras clave:

migración, pentecostalismo, inmigrantes haitianos

Resumen

En 2010, muchos haitianos llegaron a Brasil y pronto se notó la religiosidad que manifestaban. Muchos de ellos eran evangélicos y poco a poco formaron sus comunidades étnicas evangélicas en diferentes partes del territorio brasileño. Entre ellas, bautistas, adventistas, Asamblea de Dios, Solid Rock, entre otras. En São Paulo fue posible seguir algunas de estas comunidades durante algunos años. Ante este escenario, el objetivo de este trabajo es comprender la relación de los inmigrantes evangélicos haitianos en São Paulo con el "pentecostalismo". Para nuestro estudio, adoptamos el relevamiento bibliográfico y la experiencia de campo obtenida durante nuestra investigación de maestría y doctorado entre evangélicos haitianos en São Paulo. Como resultado, encontramos que las prácticas pentecostales son comunes entre los diferentes grupos de evangélicos haitianos. Se concluye que la relación de los inmigrantes evangélicos haitianos en São Paulo con el pentecostalismo es expresiva, incluso entre aquellos que no se reconocen como pentecostales.

Descargas

Los datos de descarga aún no están disponibles.

Biografía del autor/a

  • Bernadete Alves de Medeiros Marcelino, PUC SP

    Doutora em Ciência da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; membra do Grupo de Pesquisa Sobre Protestantismo e Pentecostalismo (GEPP). Se dedica ao estudo da relação entre religião e migração.

Referencias

Alencar, G. F. (2018). Protestantismo Tupinanquim: hipóteses sobre a (não) contribuição evangélica a cultura brasileira.São Paulo: Editora Recriar.

Álvarez, C. E. (1996). Panorama Histórico dos pentecostais latino-americanos e caribenhos. In: Gutiérrez, B. F.; Campos, L. S. (Editores). Na força do Espírito. Os pentecostais na América- Latina: um desafio às igrejas históricas. São Paulo: Associação Literária Pensão Real.

Anderson, A. H. (2014).AnIntroductiontoPentecostalism: Global CharismaticChristianity.Cambridge: Cambridge University Press.

Arns, P. E. (2010). Não basta acolher os refugiados, é preciso denunciar a violência. In. Barreto, L. P. T. F. (Orgs.). Refúgio no Brasil: A proteção brasileira aos refugiados e seu impacto nas Américas. Brasília: ACNUR, Ministério da Justiça.

Baeninger, R. (2016). Migração transnacional: Elementos teóricos para o debate. In. Baeninger, R.; Peres, R.; Fernandes, D.;Et al.(Orgs.). Imigração Haitiana no Brasil. Jundiaí: Paco Editorial.

Borba, J. H. O. M. de &Moreira, J. B. M. (2016). Integração local de haitianos em Santo André: interação entre poder público municipal e entidades religiosas. In: Baeninger, Rosana; Peres, Roberta; Fernandes, Durval; et al. (Orgs.). Imigração haitiana no Brasil. Jundiaí: Paco Editorial.

Correa, M. (2018). A operação do carisma e o exercício do poder. A lógica dos ministérios das Igrejas Assembleias de Deus no Brasil. São Paulo: Editora Recriar.

Costa, G. A. (2016). Memória da chegada de imigrantes haitianos a Manaus, 2010 – 2014: presença da Pastoral do Migrante. Cadernos de Migração, (n. 8), São Paulo: Centro de Estudos Migratórios.

Cotinguiba, G. C. (2014). Imigração haitiana para o Brasil: a relação entre trabalho e processos migratórios. Dissertação de Mestrado, História, Universidade Federal de Rondônia.

Farah, P. D. (2017). Combates à xenofobia, ao racismo e à intolerância. Revista USP, 114: 11 – 30.

IDMH – Instituto Migrações e Direitos Humanos (2014). Glossário. 31 jan. Disponível em: https://www.migrante.org.br/imdh/glossario. Acesso em: 10 dez. 2015.

Farjado, M. P. (2016). O neopentecostalismo e as novas igrejas pentecostais. In:Abumanssur, E. S.; Barbosa, C. A.; Valério, S. P. (Orgs.). Pentecostalismos no Brasil Contemporâneo: Novas Perspectivas. São Paulo: Reflexão.

Gutiérrez, B. F. (1996). Os pentecostais na América Latina: um desafio às igrejas históricas. In: Gutiérrez, B. F.; Campos, L.S. (Editores). Na força do Espírito. Os pentecostais na América- Latina: um desafio às igrejas históricas.São Paulo: Associação Literária Pensão Real.

Hurbon, Laënec. O deus da resistência negra: o vodu haitiano. São Paulo: Paulinas.

Magalhães, L. F. A. (2017). A imigração haitiana em Santa Catarina: perfil sociodemográfico do fluxo, contradições da inserção laboral e dependências de remessas do Haiti. Tese de doutorado, Demografia do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas.

Marcelino, B.A.M. (2019). A fé em um país distante:uma relação entre religião e imigração em um contexto que envolve haitianos adventistas. São Paulo: Editora Recriar.

Marcelino, B. A. M. (2021). Comunidades evangélicas haitianas: um estudo etnográfico em Guaianases, SP. Tese de doutorado, Ciência da Religião, Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Marcelino, B. A. M. (2022). Vivendo em Comunidade: haitianos evangélicos na periferia de São Paulo, São Paulo: Recriar.

Marino, A. M. &Rampazzo, L. (2016). A vinda de haitianos ao Brasil após o ano de 2010 e a problemática dos refugiados ambientais. In. Baggio, F.; Parise, P.; Sanchez, W. L. (Orgs.). Mobilidade humana e identidades religiosas. São Paulo: Paulus.

Mariz, Cecília Loreto. (1996).Pentecostalismo e a luta contra a pobreza no Brasil. In. Gutiérrez, B. F.; Campos, L. S. (Editores). Na força do Espírito. Os pentecostais na América- Latina: um desafio às igrejas históricas. São Paulo: Associação Literária Pensão Real.

Nadège, Mézié. (2016). Emergência e ascensão dos protestantismos no Haiti: um panorama histórico. Debates do NER, 17 (29): 289-327

Passos, J.D.(2018) Prefácio. InCorrea, M. A operação do carisma e o exercício do poder. A lógica dos ministérios das Igrejas Assembleias de Deus no Brasil.São Paulo: Editora Recriar.

Pereira, R. M. C. (2016). Bondyebenioù: lugaridades com haitianos evangélicos. Tese de Doutorado, Geografia, Universidade Federal do Paraná.

Reynolds, J. (2017). Migração Forçada. In. Cavalcanti, L. Et al. (Org.). Dicionário Crítico de migrações internacionais. Brasília:Editora Universidade de Brasília.

Rivera, D. P. B. (2017). Religião, migração e periferia urbana na América Latina. In: Moreira, A. S. (Org.). Religião, migração e mobilidade humana. Goiânia: Editora da PUC-Goiás.

Sepúlveda, Juan. (1996). Características Teológicas de un Pentecostalismo Autóctono: El caso Chileno. In. Gutiérrez, B. F.; Campos, L. S. (Editores). Na força do Espírito. Os pentecostais na América- Latina: um desafio às igrejas históricas. São Paulo:Associação Literária Pensão Real.

Silva, S. A. (2016). A imigração haitiana e os paradoxos do visto humanitário. In: Baeninger, R.; Peres, R.; Fernandes, D.; et al. (Orgs.). Imigração haitiana no Brasil. Jundiaí: Paco Editorial.

Tenório, Waldeci. (1987). Ao leitor brasileiro. In. Hurbon,Laënec. O deus da resistência negra: o vodu haitiano. São Paulo: Paulinas.

U.S. Department of stat: Diplomacy in action (2017). Disponível em: https://www.state.gov/j/drl/rls/irf/religiousfreedom/index.htm#wrapper. Acesso em 09/10/2017.

Publicado

05-06-2023

Cómo citar

La relación entre los inmigrantes evangélicos haitianos en São Paulo y el pentecostalismo. (2023). Revista Protesta Y Carisma, 3(5). https://www.revistaprotestaycarisma.cl/index.php/rpc/article/view/48